sábado, 28 de fevereiro de 2009

catarina pinto

' Quando a gente gosta é claro que a gente cuida'
É bom quando vemos quem não desiste de nos transformar um dia cinzento num dia cheio de sol

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

1/2 - 2/4 - 3/6

Frank Abagnale Sr.: Two little mice fell in a bucket of cream. The first mouse quickly gave up and drowned. The second mouse, wouldn't quit. He struggled so hard that eventually he churned that cream into butter and crawled out. (Catch me if you can)

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

how to lose a guy in ten days


Andie: Unattached?
Ben: Currently.
Andie: Likewise.
Ben: Surprising.
Andie: Psycho?
Ben: Rarely, Interested?
Andie: Perhaps.
Ben: Hungry?
Andie: Starving.
Ben: Leaving?
Andie: Now?

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

cinema paradiso

Alfredo: Once upon a time, a king gave a feast. And there came the most beautiful princesses of the realm. Now, a soldier, who was standing guard, saw the king's daughter go by. She was the most beautiful one, and he immediately fell in love with her. But what could a poor soldier do when it came to the daughter of the king? Well, finally, one day, he managed to meet her, and he told her that he could no longer live without her. The princess was so impressed by his strong feelings that she said to the soldier: "If you can wait 100 days and 100 nights under my balcony, then at the end of it, I shall be yours." Damn! The soldier immediately went there and waited one day. And two days. And ten. And then twenty. And every evening, the princess looked out of her window, but he never moved. During rain, during wind, during snow, he was always there. The bird shat on his head, and the bees stung him, but he didn't budge. After ninety nights, he had become all dried up, all white, and the tears streamed from his eyes. He couldn't hold them back. He no longer had the strength to sleep. All that time, the princess watched him. And on the 99th night, the soldier stood up, took his chair, and went away.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

COCA-COLA 80 CL



É tão bom,uma amizade assim

Ai, faz tão bem, saber com quem contar

1990-1994

domingo, 22 de fevereiro de 2009

mil e oito (dois)

23:05 "eu ja te disse que adoro a tua voz..e tava entretido a ouvi-la mais do que a ouvir o que dizias..xD "

tótó

sábado, 21 de fevereiro de 2009

paris 2006


Eu tinha onze anos,já não acreditava em nada disso,mas mesmo assim esta foi a única actriz a quem quis dar um beijinho. Todos nós temos os nossos príncipes e princesas favoritos.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

acreditas em fadas?

então bate palmas

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

'Andas com essa coisa de bolhas de sabão no bolso a que propósito?' Sim,se alguém me vir a andar a pé é sempre com bolhas de sabão à volta,tal qual uma criança.Não é preciso um pouco de magia todos o dias? Posso ser confundida com uma menina de sete anos,já que a altura não revela muito,e é isso vergonha? Ao soprar por aquela coisinha e fazer uma bolha recupero toda a simplicidade e pureza de um olhar ingénuo e feliz. Posso saltar e dançar e sorrir e sentir o sol ou a brisa de fim de tarde. Dar um pouco de magia quando a recebemos,ou quando acontece o contrário. Somos todoss bolhas e todos nos rebentamos uns aos outros. Alguns rebentam por eles mesmos, no ar.. Mas em vez de ir aquele caminho a fazer bolhinhas e contar as pedras da calçada podia ter rebentado uma bolha na janela,para saberes onde é. Mas não. Bolha que dispersa e vai sem avisar. A que propósito a magia é como ar? Já sem o meu brinquedo na mão contornava um grande estádio de futebol (ou nem assim tão grande),e via as portas fechadas de um lugar que eu conseguia ver perfeitamente só com a mente o outro lado da porta,um vão frio de escadas cinzentas que subindo dava para um protótipo de campinho de futebol,onde com um céu só um pouco mais escuro do que o que estava hoje,saí à meia noite em ponto com algum frio e com o dia ganho. O dia,o mês,o ano. E tinha que ser no preciso momento em que parava e ficava especada a olhar para essa porta que o sistema aleatório de músicas do meu ipod escolhia a música mais irmã daquele lugar? E no céu já estrelas.. Gosto que a minha sala de ballet seja no estádio. O caminho para lá tem a sua beleza, e tem o seu lado terapeutico observar o campo de futebol,se bem que um jogo nunca lá vi. Deixa-me mostrar-te o meu brinquedo de fazer bolhinhas de sabão,eu dou-te boleia.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

decidi deixar escrito..

ironia : figura de retórica que exprime o contrário do que as palavras significam e que serve para depreciar ou engrandecer. acto de dizer o inverso do que se pensa para gozar.uso de palavras para transmitir um sentido oposto ao sentido literal. estilo sarcástico de escrita ou de fala. resultado de eventos que é contrário ao que seria esperado.

Foram ainda alguns os sites de dicionários online que percorri para encontrar esta definição,e só um incluía a adequada. ironia = resultado de eventos que é contrário ao que seria esperado.
Realmente nada disto foi esperado,nunca esperei ter uma mão tão aberta..ou melhor..já nem sei. Já passou algum tempo para me lembrar do que esperava ou da ideia que tinha de ti. Nunca foi hostil,nunca foi negativa,se bem que no primeiro dia tive medo que ao chegar à escola levasse uma bofetada tua,não sabia o que esperar dali,eu não estava à espera de nada. Foi tudo muito rápido e surpreso. Não preciso de contar como foi,que ambas nos lembramos,cada uma se lembra da sua parte,com energias diferentes,por vezes contrárias.No fim chegaria então este laço que resulta de,e nada mais do que compreensão. E é difícil. Vi-me grega para conseguir que alguém percebesse do que eu falava,do que eu sentia falta,do que eu agradecia,do que eu me arrependia,do que eu queria ter,do que eu venerava. Simplesmente mais ninguém conhecia aqueles olhos como eu, nem conseguia ver o que estava por dentro daquele mau génio que me prendia. Ainda hoje ouço os defeitos,de quem só olhava de lado,e ouvia histórias minhas do género de relato do seu desprezo e dos seus ataques,mas eram histórias que comigo funcionavam como 'quem desdenha quer comprar',daquelas histórias que te lembras e começas a rir sozinha. Só nas tuas palavras,ou melhor,nos teus ouvidos,encontrei o que precisava. O que precisava,quando precisava,e nem tive muito medo de pedir. A início foi esse o erro,vinha eu depois a descobrir. Mexia com certas coisas que não devia na altura,e parecia que falava a subir mais alto que tu. Até te deitei ao chão uma vez. Sem querer. Mas sempre me deste o que precisei,e acho que consegui dar-te um pouco do que necessitavas de vez em quando. E começámos dois mil e nove com um cineminha e tudo. Calhou. A vida tem disto. Chamas-lhe ironia. Chamas-lhe a boa ironia. Foi bom sim, eu sei que tenho uma mão aberta. Sabes que estou grata não sabes? Sabes que a minha mão está aberta também? Disso não te posso deixar dúvida. E são daquelas conversas indiferentes dos caracteres ou decibeis. E não cabem todas as horas neste pedaço de memória,nem vem tudo à cabeça para falar. Aqui venho eu com os clichets,vá,mas não posso deixar de dizer que o que não estiver referido aqui (que é tudo) tu sabes e não preciso de dizer. Também me baralho. De repente sinto o medo de faltar alguma peça essencial,mas somos nós. E acho que é isso que te tento transmitir nos dias de hoje. As peças somos nós. Sou eu e és tu sabes bem. O que nos uniu foi,mas o que nos une agora tem que passar a ser essa parcela de egocentrismo saudável. Por mim,e por ti. Passas-te a ser dona dum cantinho especial no meu coração.Eu já há uns tempos que queria deixar escrito. Porque é bom ter destas ironias,destas experiências. É bom aprender, tanto tudo como só uma nova maneira de olhar. É tão bom saber que há alguém assim para nós.

'Depois de tudo,por tudo.'

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

grande treinador do união futebol clube

Disse-me ele,que dizia o mister : ' Só faz falta quem cá está'

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Lista de compras :

Um abraço por aquela sensação de correr até à pessoa que está a andar no sentido contrário a nós (por ter sido um mês e meio sem o fazer).

Um 'cafézinho em pé' daqueles habituais,de vizinhança emprestada.

Um início do lusco-fusco para re-lembrar que sim,que estamos a cem passos de alguém.

Uma corridinha ridícula,mas que não podia deixar de haver.

Melhor que cama,que televisão,que livros. Porque a chuva já foi e pude tirar o casaco.

Mas cada um se alimenta do que precisa.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

quando é a próxima?

Sou bastante até de olhar para o futuro,e cada dia vivo ao máximo,por isso é que,passado uns tempos,tenho muito para recordar. São muitos balanços,e muitos aniversários a celebrar,ainda que póstumos. Uma cara é uma história e aí tanto faz se me arrependi,se fui indiferente,se traz um sorriso ou se traz um encontrão.. E é ao ver uma nova que a mão pega na caneta para escrever..uns segundos depois já são palmadinhas nas costas. Distingues num maior laço a indiferença da diferença. Entre o consistente e o inconsistente. As pessoas que ocupam as maiores parcelas do nosso coração nem sempre estão próximas de nós. Não faço ideia de que novidade estou à espera. Entrar naquele palco com flores no tecto pela última vez (desta vez) faz com que todas as palavras queiram sair. Se eu não tivesse há um ano entrado naquela sala...a minha vida não era igual.Não não era,isto não é só clichet. Foram demais,as pessoas,as evoluções,o riso,o apoio,as experiências,demais,mas sem nunca fartar. Ao sermos doze,com vinte e quatro braços e um único abraço fez de nós únicos. Deu para tentar falar e não conseguir. Celebrámos a noite assim,com a mesma força com que sempre nos encontramos. A vela está já na gaveta.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

'as long as i'm living..'

'Ao vivo' faz diferença. Dadas certas circunstâncias esperamos por isso durante algum tempo,mesmo que tenhamos direito a certos segundos de raro espreitar pelo pano. E enquanto se espera por mais que um minuto,recebem-se 365 dias. Quando conheci mais da tua voz? Quando soube que se te atrasasses,vinhas a correr? Que te besuntavas com sundae de chocolate? Já foram três coisas que duraram um calendário inteiro.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Escola de Dança do Conservatório Nacional

Estrutura curricular: Grau avançado / Ensino secundário
Carga horária semanal (x 90 minutos)
10º 11º 12º
Língua Portuguesa 2 2 2
Língua estrangeira 2 2 -
Filosofia 2 2 -
História da dança 1 1 1
Técnica de dança clássica 5 5,5 6
Técnica de dança contemporânea 5 5,5 5,5
Repertório clássico 1 1 -
Repertório contemporâneo 1 1 1
Composição e análise do movimento 1 1 -
Pas-de-deux 1 2 2
Música 1 1 1
Elementos de produção 1 - -
Seminários 1 1 1
Oficina coreográfica - 4 4

Porque quero acordar de manhã e vestir os collants,ir para uma sala cheia de espelhos e fazer o que me faz feliz.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

obrigada,adoro-te

' (..)É por não nos conseguirmos lembrar de quem amamos que temos de estar sempre junto dela. (..) Cada vez sou apanhado de surpresa. (..) É sempre diferente,mais bonita,mais interessante do que pensava. (..) Estou aqui sentado e resolvo lembrar-me dum amigo meu que não vejo há muito tempo. Vou buscar as cartas que me escreveu (..) Eu tenho um pequeno truque. Quando estou com quem amo,quando tenho a sorte de estar à frente de quem adivinho a saudade de nunca mais a ver,faço de conta que ela morreu,mas voltou mais um único dia,para me dar uma última oportunidade de a rever,olhar de cima a baixo,fazer as perguntas que faltou fazer,reparar em tudo o que não vi ; uma última oportunidade de a resguardar e de a reter. Funciona. (..) ' (Miguel Esteves Cardoso)

'Não sei como aconteceu isto tudo,mas sei como vai acabar.' (Pedro Quintal)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

14:25

catch a glimpse : quick view of,as in passing,see briefly
example - ' I glimpsed him as I passed next to his school front door '

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

slumdog millionaire

Jamal : Come away with me!
Latika : Away? Where? And live of what?
Jamal : Love.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

David Mourão-Ferreira

A praia abandonada recomeça
logo que o mar se vai, a desejá-lo:
é como o nosso amor, somente embalo
enquanto não é mais que uma promessa...

Mas se na praia a onda se espedaça,
há logo nostalgia duma flor
que ali devia estar para compor
a vaga em seu rumor de fim de raça.

Bruscos e doloridos, refulgimos
no silêncio de morte que nos tolhe,
como entre o mar e a praia um longo molhe
de súbito surgido à flor dos limos.

E deste amor difícil só nasceu
desencanto na curva do teu céu.
Soneto do amor díficil

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

what you see is what you get